quarta-feira, maio 23, 2018

08




a manhã começa a bater no meu poema

as manhãs, os martelos velozes,
as grandes flores líricas
muita coisa começa a bater 
contra os muros do meu poema
.........

a manhã começa a  colocar o poema
na parte mais límpida da vida.
E o povo canta-o
enquanto crescem os campos levantados ao cume das seivas.

a manhã começa a dispersar o poema
na luz incontida do mundo.
Herberto Helder


                                                                    

terça-feira, maio 22, 2018

07



 madrugada.

............ mar do Alvor.



segunda-feira, maio 21, 2018







06



Os dias, como que perseguindo a Vida, não param .....


............... mar de Espinho





domingo, maio 06, 2018



                                                                                                     Madonna Litta _detalhe .          Leonardo da Vinci





terça-feira, maio 01, 2018

1º Maio



 trabalho feminino e infantil nos EUA meados do séc. XIX




Chicago, Maio 1886

imagens: historiaschistoria@blogspot.pt



quarta-feira, abril 25, 2018

abril, 25


Como casa limpa
Como chão varrido
Como porta aberta

Como puro início
Como tempo novo 
Sem mancha nem vicio

Como a voz do mar
Interior de um povo

Como página em branco
Onde o poema emerge

Sophia de Mello Breyner











terça-feira, abril 24, 2018

domingo, abril 22, 2018


Que fazes tu, poeta? Diz! - Eu canto.
Mas o mortal e monstruoso espanto
Como o suportas? - Canto.
E o que nome não tem, tu podes tanto
Que o possas nomear, poeta? - Canto
De onde te vem o direito ao Vero, enquanto
Usas de máscaras, roupagens? - Canto.
E o que é violento e o que é silente encanto,
Astros e temporais, como te sabem? - Canto.
Rainer Maria Rilke


domingo, abril 01, 2018

quarta-feira, março 28, 2018




                                               rosmaninho



sábado, março 24, 2018

quarta-feira, março 21, 2018





depois do branco e deserto inverno
a primavera chegará, mesmo que  ninguém mais saiba seu nome,
nem acredite no calendário,
nem possua jardim para recebê-la.
Cecília Meireles


segunda-feira, março 19, 2018

quinta-feira, março 08, 2018

terça-feira, fevereiro 20, 2018

sábado, janeiro 06, 2018



mar da Rocha



           a Sul .                         
..................... luz poente.


segunda-feira, janeiro 01, 2018



                                                                                        Erica Hopper

OLHA sempre como se fosse pela primeira vez .
Osho



domingo, dezembro 31, 2017

05



Cabo Carvoeiro


Como as gaivotas
Atravessando o temporal
aprendemos a planar.
Sobrevoar a vida
para avançar usando
a violência do vento.
Tal como as gaivotas.
Joan Margarit



                        
                                            

    
                                              

sábado, dezembro 30, 2017

O4



   flowers in december




sexta-feira, dezembro 29, 2017

quinta-feira, dezembro 28, 2017

O2




Breve será a Primavera .





quarta-feira, dezembro 27, 2017

O1






"............. há no caos uma ordem por decifrar".     Saramago



terça-feira, dezembro 26, 2017

n20



.................................... no percurso do OLHAR.



sábado, dezembro 23, 2017


    

                                                                                                           "Anunciação"         Fra Angélico


quarta-feira, dezembro 20, 2017




soa a palavra nos sinos .....



NATAL

...........
E que tropel nos sentidos,
Que vendaval de emoções!
Natal de quantos meninos
Em nudez foram paridos
Num presépio de ilusões.

Natal da fraternidade
Solenemente jurada
Num contraponto em surdina
A imagem da humanidade
Terrenamente nevada
Dum halo de luz divina.

Natal do que prometeu
Só bonito na lembrança.
Natal que aos poucos morreu
No coração da criança,
Porque a vida aconteceu
Sem nenhuma semelhança.

Miguel Torga

sábado, dezembro 16, 2017

n19




 É bom sermos como essas folhas verdes
que prolongam todo o ano a Primavera.

Mas melhor do que isso
é sermos como aquela folha rubra
que antes das outras pressentiu o Outono
e vestiu para ele a sua melhor cor,

mesmo sabendo que o Inverno tem um plano
para em breve a dissolver no chão.

a.m.Pires Cabral



sexta-feira, dezembro 08, 2017

a tarde

               
       
                                   
             " ..... Gosto de tudo, enfim, onde encontro um pouco de Beleza e de Verdade"

                                                                                               Florbela Espanca



quinta-feira, dezembro 07, 2017

arte popular




                                                                            "Bonecos de Estremoz" _ Património Imaterial da Humanidade  07.12.17

Lembrando o amigo Joaquim Vermelho estremocense incansável na preservação e divulgação deste peculiar Figurado em Barro, com mais de três séculos.




imagens @


quarta-feira, dezembro 06, 2017




Há um instante em que a memória 
é estreita
para conter o mar, o sal, os navios
a penumbra branca das gaivotas.

Um instante de nudez perfeita.

Albano Martins

imagem @


quinta-feira, novembro 30, 2017

do olhar




                                                                                                      Vermeer


Eu
quando olho nos olhos
sei quando uma pessoa
está por dentro
ou está por fora

Quem está por fora
não segura
um olhar que demora

Paulo Leminski



domingo, novembro 26, 2017

sábado, novembro 18, 2017

nada






la muerte se muere de risa
pero la vida se muere de llanto pero la muerte pero la vida
pero nada nada nada



Alejandra Pizarnik




quinta-feira, novembro 16, 2017

n17



                                                                outono no silvado         .................................






segunda-feira, novembro 13, 2017

sábado, novembro 11, 2017

n16





CAMINHO DE PÉ-POSTO

Sou como este caminho de pé posto.
Por mim passam caravanas e mendigos,
rolam enxurradas.
Nas bermas, nas fundas furnas
das minha bermas, nidificam 
animais daninhos e se multiplicam.


Estou muito diminuído das contínuas 
erosões.
Mas, íngreme embora e pedregoso
e ocultado por tufos de ervas intrusas,
sou um caminho e levo a algum lugar.

a.m.pires cabral.
foto: luis borges



sexta-feira, novembro 10, 2017

nuvens





É tão bom ser nuvem,
ter um corpo leve
e passar, passar.
Leva-me contigo.
Quero ver Granada.
Quero ver o mar.
Granada é longe,
o mar é distante,
não podes voar.
Para que te serve
ser nuvem, se não 
me podes levar ?
Serve para te ver.
E passar, passar.

Eugénio de Andrade


segunda-feira, novembro 06, 2017

n15




Há rosas e rios e manhãs claras .............................